Aumento do Consórcio Imobiliário

A aquisição da casa própria é o principal objetivo de diversos brasileiros que desejam fugir do temido aluguel que pode ser comparado a um profundo abismo onde o dinheiro jogado nunca mais retorna. De acordo com fontes coletadas pelo jornal O Globo, a procura por consórcios imobiliários está sendo cada vez mais estimulada devido ao aumento da taxa básica de juros, mais conhecida como Selic.

"A elevação dos juros torna os financiamentos ainda mais inviáveis, e os consórcios se tornam a alternativa mais inteligente para a aquisição de bens imóveis" – diz o economista Raphael Guarieiro formado pela USP. Ele ainda ressalta que "comprar consórcio pode ser uma excelente oportunidade para adquirir um carro ou imóvel sem precisar pagar o dobro ou triplo do valor, como costuma ocorrer em financiamentos convencionais".

Um detalhe importante que foi mencionado por diversas administradoras pesquisadas diz respeito ao público que mais procura os consórcios para casa e apartamento. Os jovens casais entre 25 e 35 anos estão no topo da lista, embora haja previsões de que o público single, composto pelos solteiros também aposte nesta modalidade para adquirir seu primeiro imóvel.

É válido ressaltar que a classe A e B ainda são as principais engrenagens do mercado de consórcios. Isso porque, existe a velha regra que dita que o consorciado não pode comprometer mais de 30% da renda mensal e as principais cartas de créditos estão entre 200 e 250 mil para pagamento em 180 meses. Desta forma, na maioria das vezes, a renda mínima exigida para a aquisição de consórcio gira em torno de 4,5 mil, impedindo que a classe C veja o consórcio como um investimento alcançável.

Apesar disso, diversas administradoras estão contornando esta situação e investindo em planos diferenciados, com prazos ampliados e/ou mensalidades reduzidas para conseguir atingir também a classe C. Dessa forma, as principais administradoras de consórcios tendem a possibilitar a aquisição de bens por pessoas com renda inferior a 2 mil reais mensais.

Por fim, conclui se que o aumento do consórcio imobiliário é uma realidade comprovada por diversos meios de comunicação e deduzida por economistas que estão antenados às principais movimentações do cenário econômico brasileiro, incluindo os impactos ao crédito imobiliário. A partir das informações acima mencionadas, fica explícito que comprar consórcio é, sem dúvidas, uma excelente aposta para 2014, seja para aquisição de automóveis ou imóveis.